MÓDULO III – AVIFAUNA

Técnicas de Levantamento, Monitoramento, Resgate e Destinação de Avifauna

O levantamento da Avifauna pode ser definido como o emprego de diferentes métodos, com o objetivo de se obter uma listagem, a mais completa possível, das espécies que ocorrem em uma determinada área de estudo, informações sobre habitats de ocorrência, estimativas de riqueza, diversidade e abundância, de forma a se obter um diagnóstico para as espécies registradas. O levantamento de aves silvestres constitui um procedimento indispensável a ser executado nos estudos relacionados ao Licenciamento Ambiental, quando existe a necessidade de se conhecer a riqueza de espécies de uma determinada área de influência direta ou indireta de um empreendimento, proceder à análises e diagnósticos, elaborar estudos ambientais elaborados e estabelecer estratégias de monitoramento e manejo para algumas espécies. Os métodos que devem ser empregados nos levantamentos de aves silvestres de forma a cumprir os objetivos propostos por um estudo ambiental dependem, em grande parte, de outros fatores, inclusive o reconhecimento da área de estudo em nível de paisagem e conhecimento prévio das condições ambientais da área de estudo. Uma vez observados tais aspectos, deve-se partir para a adoção de métodos de quantitativos e qualitativos da diversidade. A escolha adequada dos métodos de levantamento leva-se em conta o tipo de ambiente a ser pesquisado e avaliado.

Os tópicos abordados serão:

  1. Levantamento da Avifauna

1.1. Definição

1.2. Importância

1.2.1. O Papel  Biológico e Diversidade

1.3. Fluxograma do Levantamento

1.4. Critérios e procedimentos

1.4.1. Autorização para Captura, Coleta, Manipulação e Transporte de Animais Silvestres.

1.4.2. Protocolo de Biossegurança para Atividades de Campo

1.4.3. Protocolo de Monitoramento de Aves Migratórias do CEMAVE

1.4.4. Licença para Anilhamento de Aves

1.5. Fontes de Erros

1.6. Protocolo mínimo para levantamentos de Avifauna em Estudos de Impactos

       Ambientais

1.7. A escolha dos grupos de bio-indicadores

  1. Métodos de levantamento da Avifauna

2.1. Levantamentos Qualitativos (Descrição, unidade amostral e desenho

       amostral)

2.1.1. Percursos em trilhas

2.1.2. Percursos em bordas e ecótonos

2.1.3. Observação em pontos fixos

2.1.4. Uso de Playback

2.2. Levantamentos Quantitativos (Descrição, unidade amostral e desenho

       amostral)

2.2.1. Amostragens por pontos fixos

2.3. Avaliação Ecológica Rápida (RAP)

2.4. Variáveis Ambientais

  1. Análises de riqueza e diversidade da Avifauna

3.1. Estimadores de Riqueza de Espécies

3.2. Índices de Diversidade de Espécies

3.2. Índices de Similaridades de Espécies

  1. Diagnóstico da Avifauna

4.1. Fases do Diagnóstico de Aves Silvestres

4.1.1. Relação de espécies (Check list)

4.1.2. Categorias de Ameaças

4.2. Análises das Informações

4.2.1. Parâmetros de Riquezas em Espécies

4.2.2. Parâmetros de Diversidade em Espécies

4.2.3. Parâmetros de Similaridade em Espécies

4.2.4. Indicadores de Esforço Amostral

  1. Monitoramento da Avifauna

5.1. Monitoramento de Aves em Sub-Bosques

5.1.1. Protocolo de Levantamento de Aves de Sub-Bosques

5.1.2. Monitoramento de Aves pelo Protocolo RAPELD

5.1.3.Rastreamento de aves através de telemetria por rádio e satélite

5.2. Monitoramento de Aves em Áreas Diretamente Afetadas (ADA), da Área de Influência Direta (AID)  e da Área de Influência Indireta (AID) dos empreendimentos licenciados.

  1. Resgate ou salvamento da Avifauna

6.1. Resultado do levantamento ou monitoramento prévio.

6.2. Esforço de Resgate ou Salvamento da Fauna

6.2.1. Métodos de Captura

6.2.2. Marcações e Registros

6.2.3. Métodos de Sacrifício

6.3. Triagem e seleção.

6.4. Destinação pretendida.

6.5. Procedimentos de transposição.

6.4. Critérios de Seleção de Áreas de Soltura – Relocação

  1. Destinação da Avifauna

7.1. Coleções Científicas

7.2. Coleções Didáticas

7.3. Centro de Reabilitações

7.3. Legislação Específica

  1. Elaboração de relatórios dos Resultados

8.1. Dados Primários x Dados Secundários.

8.2. Como apresentar os resultados de levantamento e monitoramento de fauna em diferentes estudos requeridos pelo órgão licenciador.

8.3. Elaboração de Relatórios dos Resultados (lista de espécies, parâmetros de riqueza e abundância das espécies levantadas/monitoradas, índices de eficiência amostral e de diversidade, por fisionomia ou habitat e grupo monitorado, contemplando sazonalidade em cada unidade amostral e demais parâmetros estatísticos pertinentes; discussão e conclusão dos impactos gerados pelo empreendimento na fauna, observando a comparação entre áreas interferidas e áreas controles; proposição de medidas mitigadoras para os impactos detectados pelo monitoramento faunístico.

8.4. Elaboração de Relatórios dos Resultados de Resgate/ Salvamento e de Destinação.